Páginas

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Violencia contra a Mulher - tema da Redação do ENEM

Assunto nada aconchegante e somente quem é mulher, menina, adolescente sabe do que estou falando, pois mesmo que existam homens que se sensibilizam e se sintam indignados com todo tipo de violência contra a mulher (obrigada aos raros por isso), não tem como trocar de lugar com a gente, nesse caso não dá, é igual a dor do parto é genuína e feminina.
Apesar de estarmos em 2015 ouvir da minha filha e da sua amiga qual a sensação quando leram o tema da redação me deixou.... Decidida a escrever!
Fui busca-las sabendo o que estava rolando na internet então fui direta. O que acharam do tema:

1ª) Me deu vontade de "gritar" no meio daquela sala "chupa mundo", essas palavras me fizeram na hora refletir, que esse grito é realmente mundial, pois essa é uma luta que tem essa proporção (sei que o racismo, a xenofobia, a homofobia, dentre outras lutas é também mundial), mas hoje papo é o sobre mulheres. Mulheres são apedrejadas, são mutiladas para não sentirem prazer, sofrem violência física, moral e psíquica, são assassinadas por desistir de ficar com o machista enrustido, são espremidas nos ônibus e metrôs e isso me fez lembrar da única arma que tinha nesses momentos (o cotovelo firme para impedir que chegasse perto) e sei que todas as mulheres que já passaram por isso sabe do que falo. Sim, temos que gritar e esse grito não é propriedade da esquerda ou da direita, ele é fruto da realidade, nua e crua do que ainda acontece no século XXI. Isso vai ter fim? não sei....

2ª) Quando eu li o tema, eu parei, respirei fundo e "chorei"! Chorei novamente nesse momento, imagina uma menina chorar com o tema de uma redação em pleno 2015 é para deixar qualquer uma sem palavras e não importa se grito ou se choro, pois o sentimento apesar de expresso de forma diversa é único e quantas outras tiveram vontade de gritar ou de chorar? 

Não temos que nos calar, não temos que nos culpar, afinal somos as marginalizadas, somos as maltratadas, somos as violentadas e eu quando li o tema senti vontade de presenciar o típico machista tentando fazer a redação, confesso que dei uma risadinha daquelas cínicas, mas logo em seguida chorei e também queria gritar... Acho que as mulheres vão dominar os campus em 2016, pois a boa nota na redação é fator decisivo para a conquista de uma vaga..Sei que existem homens que não são machistas, mas infelizmente vocês são minoria! e o papo hoje é outro, sorry!

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Descobri que sou do contra...

O contraditório é fundamental, já dizia Voltaire. Diante de acontecimentos atuais, descobri que sou muito mais do contra que eu mesma imaginava. 

Diante da dicotomia vivida na política e evidenciada por:  eles X nós; direita X esquerda; PT X PSDB não necessariamente nessa ordem resolvi me questionar. Onde me encaixo? e de cara apareceu o primeiro impasse. Porque tenho que me encaixar? não estamos todos no mesmo barco? queremos ou não o melhor para o país? não preciso me encaixar, faço o que acho certo e pronto sem ligar para rótulos, os dos remédios já são mais que suficientes e me apavoram as vezes rsrsrsrs.

Já que não preciso me encaixar, resolvi mudar o foco dos questionamentos e analisar o que penso e onde me posiciono diante das intolerâncias explicitadas na Net e sobre alguns assuntos controversos debatidos na câmara ultimamente, dentre outros temas que acho relevante. Decidi, que gostaria de me posicionar, então vamos direto aos assuntos:

- Sou contra a redução da maioridade penal (descobri que 87% da população é a favor) fiquei desnorteada, pois a sociedade na qual vivemos acha que é mais fácil, reduzir, trancafiar e daqui a pouco pedir para reduzir mais um pouco, que enfrentar o problema. Não acho que não devamos fazer nada e deixar o menor infrator solto, mas, temos medidas socioeducativas, como faze-las cumprir o seu papel? o de ressocializar, esse os questionamentos da sociedade. Não sei a resposta, mas temos que debater. Ninguém quer debater, se envolver e procurar uma maneira para resolver (escutei um sonoro "leva o delinquente para sua casa" na página de um político da cidade), as pessoas não tem argumentos e nem educação e partem para ignorância. Lamentável, não vou mudar, faço parte dos 13% com orgulho.

- Sou contra pena de morte, como espírita que sou é inadmissível matar qualquer que seja, pois o desencarnado de hoje é o obsessor de amanhã. Sou a favor de prisão perpétua para casos sem solução (me lembro de ver um Globo repórter há uns 15 anos ambientado em uma penitenciária e o criminoso de maior periculosidade que havia ali, disse a repórter: "No dia que me soltarem eu vou matar de novo, já falei que não posso ser solto"). Até hoje lembro disso.

- Sou contra a descriminalização do aborto, para os casos aceitáveis a nossa lei já está adequada (estupro, risco de morte para a mãe e anencéfalos, eu não abortaria o anencéfalo mas respeito a opinião alheia nesse caso), nos demais já que a mulher é dona do seu corpo então, seja responsável pelo que faz com ele e sem mi mi mi. A mulher nesse caso deve ser responsável pelos seus atos e matar é crime (podem me xingar). Matar alguém que ainda nem teve a oportunidade de nascer e a assassina ser quem deveria protege-lo vai para além da minha capacidade de entender e aceitar, simplesmente não consigo, não concebo ser contra a pena de morte e a favor de matar um bebê, argumento nenhum até hoje foi capaz de alterar o meu pensamento...

- Sou contra todo tipo de fanatismo, pessoas que não respeitam a religião do outro e ainda se intitulam cristãs, como se Cristo professasse ou preferisse essa ou aquela religião (merecem nem perca de tempo gente assim) e dentro do dito cristianismo, abro um parêntesis para discorrer sobre a homofobia. 

As pessoas se revoltam com uma singela propaganda que conseguiu me emocionar tamanha a delicadeza (parece que o bem incomoda) e com uma transexual encenando "O Cristo sendo crucificado" em um evento e a multidão se rebela e fica enfurecida. Desculpem, mas eu consegui enxergar ali, arte  - Jesus foi crucificado por ser e agir em disformidade com as "regras" e "padrões" daquele tempo e a artista para mim retratou isso - se a intenção dela foi afrontar a igreja isso é com ela, não foi a leitura que fiz da cena, portanto não me ofendeu, sou assim mesmo do contra.

Apenas para deixar registrado, sinto muito, mas também sou contra a liberalização da maconha, tenho que entender melhor o lado medicinal da coisa, mas.....hoje sou contra. 

Só para constar, não sou a favor do comunismo.

Penso naqueles que estão próximos a mim, deve ser bem difícil tolerar alguém tão do contra, eles vão pro céu sem escalas.

domingo, 10 de maio de 2015

Como é bom ser mãe....

Não sou de comemorações (exceto o aniversário daqueles que amo, considero uma celebração e faço questão de celebrar), aqui em casa não comemoramos dia das mães, dos pais e tals, as acho vazias e repletas de shoppings lotados, restaurantes abarrotados e excesso de consumo, mas hoje resolvi descrever aqui no meu cantinho o que significa ser mãe, vamos lá:
- Ser mãe é ter uma predisposição para atender as solicitações das minhas filhas que muitas vezes me espanta o tamanho desse amor, acho que isso pode estraga-las (vixi, estraguei);
- Ser mãe é saber que não existe receita para bem conduzir almas, mas ter a certeza que existe uma luz interior que nos guia e se nos ligarmos a ela com certeza vamos errar menos (mas ainda assim a coleção de erros é algo inevitável);
- Ser mãe é estar atenta às atitudes diárias, pois ela muito mais que os conselhos é o legado;
- Ser mãe é saber que quanto mais eu amo os filhos de outros (e olha que amo uma galerinha por aí, tem alguns que eu até levaria para minha casa), mais tenho força para bem amar as "minhas" e entender que esse sentimento de posse tem que sumir, pois elas "estão minhas", por mais que eu não queira que assim seja;
- Ser mãe é saber que a minha mãe me deu o seu melhor (obrigado mãe) e que felizmente e ou infelizmente tem coisas que faço igual, mas muitas coisas fiz e faço à minha maneira;
-Ser mãe é olhar para traz e reconhecer que apesar dos muitos erros (muita coisa eu faria diferente, tenho o consolo de poder pedir desculpas aos meus amores) naquele momento era o que eu tinha para oferecer e ofereci com intensidade;
-Ser mãe é também reconhecer que todas as mães com as quais convivi antes de ser mãe, são responsáveis pela mãe que sou hoje (abro um parêntesis para falar de minha avó Nana que tinha uma liberdade no agir, uma vivacidade e um desapego extraordinários. Difícil até de explicar as características dessa alma com a qual tive o privilegio de conviver e na qual também me espelhei), acho que as avós tem esse dom. Vejo minha mãe com minhas filhas ela tem uma "leveza" diferente "leveza de vó" isso é muiiiiito bom;
- Ser mãe é saber que apesar dos arranhões e das cicatrizes esses acontecimentos fortalecem essa relação tão linda e tão complexa a entre "mãe e filhos". Para aqueles que dizem que um vaso quebrado não se conserta eu respondo: isso não vale para as relações sociais, uma relação sem atritos é tudo menos uma relação profunda e intensa, e somente assim os laços são fortalecidos e estabelecidos para que com muito amor possamos enfrentar as adversidades dessa jornada.
- É isso...

domingo, 29 de março de 2015

Espiritismo X Socialismo...Minhas percepções

Para Marx a tomada de consciência de classe e a revolução são as únicas formas de transformação social, certo? Bom Kardec e Chico no meu entender informam que não vai ser assim, pois a transformação é individual e independe da classe a que o ser humano estiver inserida. 
Essa questão estava  me incomodando, pois me considero uma pessoa que preza pela justiça e pelo bem da humanidade e não gosto de jeito nenhum do chamado "comunismo"e ou "socialismo" apregoado a torto e a direito e tão pouco acho que a solução para os dilemas sociais e para a melhora coletiva vai ser "mais estado". Será que estou errada?

Fui buscar primeiro em Kardec e o Livro dos Espíritos ajudou em seu capitulo IX Lei de Igualdade, o capitulo todo é ótimo, mas transcrevo aqui as questões 811 e 811a.

Questão 811: A igualdade absoluta das riquezas é possível e existiu alguma vez?
- Não, não é possível. A diversidade das faculdades e dos caracteres se opõe a isso.

Questão 811a: Há homens, entretanto, que creem estar nisso o remédio para os males sociais; que pensais a respeito?
- São sistemáticos ou ambiciosos e invejosos. Não compreendem que a igualdade seria logo rompida pela própria força das coisas. Combatei o egoísmo, pois essa é a vossa chaga social, e não correi atrás de quimeras.

Para arrematar, veio em minha ajuda o livro O Consolador de Chico Xavier. A primeira parte tem perguntas referentes a Sociologia as questões 56 e 57 e depois à Realização 234:

Questão 56: Pode admitir-se em sociologia, o conceito de igualdade absoluta?
- A concepção igualitária absoluta é um erro grave dos sociólogos em qualquer departamento da vida. A tirania política poderá tentar uma imposição nesse sentido, mas não passará das espetaculosas uniformizações simbólicas para efeitos exteriores, porquanto o verdadeiro valor de um homem está no seu íntimo, onde cada espírito tem sua posição definida pelo próprio esforço.
Nessa questão existe uma igualdade absoluta de direitos dos homens perante Deus, que concede a todos os seus filhos uma oportunidade igual nos tesouros inapreciáveis do tempo. Esses direitos são os da conquista da sabedoria e do amor, através da vida, pelo cumprimento do sagrado dever do trabalho e do esforço individual...

Questão 57: Poderão os homens resolver sem atritos as chamadas questões proletárias?
- Sim, quando se decidirem a aceitar e aplicar os princípios sagrados do Evangelho. Os regulamentos apaixonados, as greves, os decretos unilaterais, as ideologias revolucionárias, são cataplasmas inexpressivas, complicando a chaga da coletividade. O socialismo é uma bela expressão de cultura humana, enquanto não resvala para os pólos do extremismo. Todos os absurdos das teorias sociais decorrem da ignorância dos homens relativamente à necessidade de sua cristianização. Conhecemos daqui os maus dirigentes e os maus dirigidos, não como homens ricos e pobres, mas como avarentos e revoltados. Nessas duas expressões, as criaturas operaram o desequilíbrio de todos os mecanismos de trabalho natural....Que os trabalhadores da direção saibam amar, e que os trabalhadores da realização nunca odeiem. Essa a verdade pela qual compreendemos que todos os problemas do trabalho na Terra, representam uma equação do Evangelho.

Questão 234: Que dizer dos que propugnam leis para o bem-estar social, por processos mecânicos de aplicação, sem atender à iluminação espiritual dos indivíduos?
- Os estadistas ou condutores de multidões, que procuram agir nesse sentido, em pouco tempo caem no desencanto de suas utopias políticas e sociais. A harmonia do mundo não virá por decretos, nem de parlamentos que caracterizam sua ação por uma força excessivamente passageira...

Está claro pelo menos para mim, que a justiça não vai se dar com "mais estado", pois é impossível impor aquilo que é tarefa de cada indivíduo. Nenhuma ditadura vai solucionar essa questão e muito menos a meu ver a educação direcionada proposta por Gramsci. A educação é o único caminho mas jamais deve ser "direcionada" de forma deliberada, nesse quesito fico com Dora Incontri em seu livro A Educação da Nova Era no capítulo XVIII "desde que se assuma que o sujeito constrói o seu conhecimento, devem ser abolidas as formas de autoritarismo usadas até hoje em nosso sistema, em que o professor passa verdades prontas para a criança...um dos ingredientes da educação deve ser a liberdade, devem ficar abolidos os métodos prontos. Afinal o homem é um ser integral: é um ser biológico, um ser social, mas também um ser espiritual e moral" tarefa para séculos, pois a revolução será interna e individual..

Definitivamente, fiquei tranquila, o incômodo sumiu e me sinto no caminho correto. Não acho que o capitalismo seja um sistema justo, mas para mim está longe de ser o pior (que posso fazer? penso assim). Quanto mais estudo o espiritismo mais me convenço de que devo seguir a minha intuição. Se eu estiver errada e um dia outra verdade se mostrar diante de mim, não sofrerei, afinal até Paulo de Tarso acreditando fazer o que Deus queria, cometeu atrocidades para com os cristãos e no dia em que se confrontou com sua "Estrada de Damasco" e a verdade se revelou, ele mudou....então, estou aqui, pronta para mudar caso eu esteja equivocada, por hora me sinto no caminho correto.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Impeachment....e a democracia

Votei no Aécio e gostaria de discorrer sobre Impeachment, mas antes acho necessário conceituar democracia.
Democracia: Modelo de governo no qual o poder e a responsabilidade cívica são exercidos por todos ou através dos seus representantes livremente eleitos, baseia-se no respeito à vontade da maioria, porém a democracia tem como dever proteger de forma escrupulosa os direitos das minorias....lindo isso, totalmente a favor desse modelo.
Como fazer isso funcionar? não sei, mas acho que para funcionar não podemos deixar de levar em conta, a observação, a prudência e a experiência.

Impeachment: impugnação de mandato é um termo que denomina o processo de cassação de mandato do chefe do poder executivo pelo Congresso nacional, pelas assembleias estaduais ou pelas câmaras municipais. A denúncia válida pode ser por crime comum, crime de responsabilidade e ou abuso de poder dentre outros previstos na constituição.

Tenho recebido inúmeros convites pelo face, WhatsApp para o impeachment da Dilma, e gostaria de fazer algumas considerações a respeito:

1) Houve um crime eleitoral e as urnas foram manipuladas? parece que não. Não tem sentido o processo de impeachment, ela foi eleita de forma democrática e obteve a maioria dos votos válidos, ainda que muitos estejam insatisfeitos, democracia é isso, aceitem.
2) Os cartazes convites de impeachment gritam motivos do tipo, alta da gasolina, aumento de impostos, cortes nos direitos dos trabalhadores. O Aécio estaria fazendo exatamente isso, não tem motivos para reclamar, Os preços estavam defasados, governo abriu mão de impostos, temos trabalhadores favorecidos com a  facilidade na concessão de benefícios (para citar apenas algumas das políticas adotadas neste inicio de mandato). Acho que os revoltados com essas política são aqueles que votaram nela.
4) Dilma mente....bom o Alckmin também mentiu para se eleger e aí? impeachment nele também. Isso ainda não é motivo valido para retira-la, senão teríamos que colocar praticamente todos os políticos pra fora.
5) Corrupção na Petrobras...esse um assunto delicado que merece a atenção de todos os brasileiros, acho que colocamos o PT no governo para que ele acabasse com a corrupção que existe neste país desde Cabral. Me decepcionei com o partido nesse ponto, mas ainda assim a solução não passa por um impeachment, precisamos colocar esse assunto em pratos limpos e se o nome da Dilma for citado, o impeachment será uma consequência natural das apurações.

Acho que devíamos ir às ruas:

Para cobrar decência com uso do nosso dinheiro, para dizer NÂO à corrupção (Petrobras, metrô de São Paulo, ou seja PT e PSDB envolvidos em corrupção), para dizer NÂO aos aumentos descarados dos salários dos vereadores, prefeitos, governadores (aos auxílios moradias que estes possuem, isso sim é uma vergonha), enquanto o trabalhador não tem moradia e muitos vivem com o salário mínimo. Motivos para lutar temos muitos: melhorias na saúde, na educação, nos transportes, na segurança.

Ir às ruas para pedir a saída de uma presidente, porque o meu candidato não ganhou, estou fora, esse motivo não serve e coloca a pratica da democracia em um joguete, ou seja o resultado não foi o que eu queria então impeachment. Sempre haverá uma oposição na democracia e ela deve ser motor para melhorias e não mecanismos para promover a bagunça.  #prontofalei